Planeta Prisão – Parte 2 de 2

– TERRORISMO, todo o ato de discordar do sistema, será reprimido e tornado clandestino, e crime
– O DEUS DINHEIRO, esse é o novo deus à que o escravo moderno vendeu sua alma. A liberdade está no SER, e não em TER
– MISTICA, o escravo se resignou a esta vida por que pensa que não pode haver outra, é o fim da história. Sonhar com outro mundo é um crime, condenado por todos os poderes.
– ENTRETENIMENTO, a guerra mental proposta pelo sistema, o video-games, os inutilitários da internet, os sonhos de aventura e dinheiro dos filmes, são tão lamentáveis quanto a vida desgraçada do escravo.
– EDUCAÇÃO, os pais compram todas as mercadorias necessárias para alienar seus próprios filhos, entendendo que educação é o embrutecimento e a mediocridade, que apela aos instintos mais baixos
– MÍDIA, a alienação dos programas de TV, os novos coliseus modernos do futebol, o pão e o circo modernizados, sua insatisfação o incita à viver por encargo, defronte a TV.
– LINGUAGEM, o uso viciado de linguagem faz parte essencial do controle mental exercido do sistema sobre os escravos, de total impotência e apatia
– ELEIÇÕES, a política representativa usurpa o nome da democracia, os candidatos se alfinetam por detalhes, para que o principal permaneça sempre o mesmo. O voto faz os escravos cúmplices na tirania que os oprime.
CONCLUSÃO:
Todas as relações humanas foram reduzidas à medíocres relações mercantis, a onipresença da ideologia, o culto ao dinheiro, o monopólio da aparência, o partido único disfarçado de pluralismo, o programa de transformação do homem e do mundo, a repressão em todas as formas, esse é o totalitarismo moderno.
O poder não deve ser conquistado, deve ser destruído, é tirânico por natureza.

 

Você só precisa de Poder para criar algo nocivo, do contrário o AMOR basta. (Osho)

Planeta Prisão – Parte 1 de 2

– ESCRAVIDÃO, a abolição falsa, o homem moderno mais escravo que na antiguidade
– URBANISMO, construindo o planeta prisão, levantando cercas para sua jaula, vivendo na condição pior que um prisioneiro
– MERCANTILISMO, A falsa felicidade materialista, das sempre novas necessidades inventadas pelo sistema
– ALIMENTAÇÃO, a falsa abundância não esconde a degradação e falsificação sistemática da comida, nem a fome dos excluídos, nem os maus tratos àos animais quando vivos
– MEIO AMBIENTE, os que poluem e destroem o planeta, são os mesmos que se apresentam na mídia como salvadores do mundo, culpando a população e pedindo mudanças hipócritas de hábitos
– TRABALHO, atividades alienantes que nos são apresentadas como salvação, às quais agradecemos pressionados pelo desemprego. O escravo vale menos que uma máquina, e será trocado como uma, caso apresentar problemas.
– FÉRIAS, atividades de dispersão para o escravo esquecer da realidade
– MEDICINA, a condição de escravo é uma doença para a qual jamais haverá remédio
– GENÉTICA, a decodificação do genoma humano visa aumentar o controle sobre os escravos, e com patenteamento de genes, nem os seus corpos lhes pertence mais
– OBEDIÊNCIA, cega e absoluta ao sistema, o escravo se sente desorientado sem o sistema que o criou
– MEDO, justificamos nossa covardia, com discursos cheios de humanismo moralizador, defendendo os mesmos valores que o sistema ensinou, MAS, os sistema nunca vacila em usar a violência para garantir sua hegemonia.