Não devemos nada aos reptilianos

Não devemos nada aos reptilianos

Saudações amigos,

Encontrei há uns dias um debate na internet que estava acerca dos reptilianos. Algumas pessoas defendiam que graças à eles, às manipulações genéticas que fizeram na raça humana serviriam para melhorar esta raça aperfeiçoando-a.

A verdade não é por aí, e as manipulações deles eram apenas para criar escravos para trabalharem para eles. Por isso resolvi transcrever aqui um comentário que eu havia escrito.

Luz no Caminho,

Bruno

– x –

A humanidade que atualmente está encarnada não deve nada aos reptilianos. Muitas civilizações com potencial enorme viveram aqui antes deles. O problema é que estes quando chegaram aqui encontraram o resquício de uma ração com alta padrão genético e que infelizmente fora degenerada genéticamente por algum problema que afetou o planeta inteiro. Alguns ascensionaram, outros viraram intraterrenos, e outros ficaram pertidos pela crosta, e acabram como se fosse macacos primitivos, mas à nível genético ainda possuiam bases avançadas, apenas estavam fisicamente e mentalmente deformados.

Não foi à toa que as primeiras manipulações dos annunakis geraram seres com o potencial maior que o deles mesmo e, por isso, foi necessário remanipular geneticamente esses seres e, neste ponto, é que o DNA foi embaralhado só restando 2 camadas, assim como o dna reptiliano da época. Somente dessa forma, é que eles conseguiriam ser superiores à estes seres, pois lá no fundo ainda possuíam código genético da raça adâmica, criada em Aria.
Continuar lendo

Homenagem à um grande mestre: Zecharia Sitchin

No dia de hoje, acessei a página do escritor Zecharia Sitchin, cujo trabalho transformou minha maneira de pensar, anos atrás e fiquei sabendo da notícia de que ele já havia feito a passagem no final do ano passado. Este grande pesquisador trouxe à Luz, informações que ficaram perdidas e incompreensíveis por milhares de anos. Escreveu sobre toda a trajetória dos Anunnakis aqui na Terra, a partir dos escritos que estes mesmos deixaram para os sumerianos, povo terrestre que teve grande contato com eles no passado. Não poderia deixar de fazer esta homenagem à este querido mestre e pesquisador.

Zecharia Sitchin foi um autor internacionalmente aclamado e investigador, cujos livros oferecem evidências de que não estamos sozinhos em nosso próprio sistema solar. Ele é um, entre um punhado de estudiosos capazes de ler as tábuas de escrita cuneiforme sumerianas, no qual ele combinou a arqueologia, textos antigos e da Bíblia com as mais recentes descobertas científicas para recontar a história e pré-história da humanidade e do planeta Terra. Seus livros pioneiros foram traduzidos para mais de vinte línguas, o seu primeiro, um clássico muito citado, comemora o trigésimo aniversário da sua publicação. Formado pela Universidade de Londres, trabalhou como jornalista e editor em Israel durante muitos anos. Posteriormente, viveu seus últimos anos em Nova York, falecendo em 9 de outubro de 2010.