Agrotóxico encontrado no leite materno

Agrotóxico encontrado no leite materno

Por Centro de Mídia Independente

No governo,o silêncio é total. Ninguém fala nada, pois o governo não quer correr o risco de que haja possibilidade para uma superinvestigação nesse sentido,a ponto de que seja comprovada todas as denúncias,relativas ao mal provocado pelos pesticidas e agrotóxicos borrifados por anos e anos,sobre aquilo que comemos.Pois a indenização ao povo brasileiro,seria monstruosa.

AGROTÓXICO NO LEITE MATERNO!A CAUSA PRINCIPAL DO CÂNCER INFANTIL!SILÊNCIO NO GOVERNO!

 

Reprod.p/Cimberley Cáspio

Pesquisa feita pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) revela que o leite materno de moradoras da cidade de Lucas do Rio Verde está contaminado com DDE e outros cinco tipos de agrotóxicos. A pesquisa revelou que 100% das amostras indicam a contaminação do leite por pelo menos um agrotóxico. Em todas as mães foram encontrados resíduos de DDE, um derivado do DDT, agrotóxico proibido no Brasil há mais de dez anos. Dos resíduos encontrados, a maioria é de organoclorados, substâncias de alta toxicidade, capacidade de dispersão e resistência tanto no ambiente quanto no corpo humano.

Lucas do Rio Verde é uma cidade de 45 mil habitantes localizada no centro do estado de Mato Grosso. É considerada a ?vitrine? do agronegócio brasileiro e apresenta um dos maiores IDHs (Índice de Desenvolvimento Humano) entre os municípios do país.

No entanto, a partir de um acidente aéreo de pulverização de defensivos agrícolas que contaminou toda a cidade, Lucas do Rio Verde passou a fazer parte de um projeto de pesquisa coordenado pelo professor e doutor em toxicologia Wanderlei Pignatti,em parceria com a Fiocruz e a Universidade Federal de Mato Grosso. Foram estudados os resíduos de agrotóxicos em amostras de água de chuva, de poços artesianos, de sangue e urina humanos, de anfíbios, e do leite materno de 62 mães. Os resultados espantam: a exposição de um morador a agrotóxicos no município durante um ano é de aproximadamente 136 litros por habitante, quase 45 vezes maior que a média nacional ? de 3,66 litros.
Continuar lendo