O Bem e o Mal: A brincadeira sem fim

O Bem e o Mal: A brincadeira sem fim

 

Ao longo da minha vida espiritual, vi muitas coisas. Grupos, pessoas, doutrinas, canções, comportamentos e as idéias mais variadas possíveis. Em todos estes, existia sempre algo em comum: A idéia errônea da luta do Bem contra o Mal.

É muito comum vermos pessoas fervorosas, fazendo algo em prol da Luz. Existem várias razões para isso: alguns acreditam que é sua missão, outros para acumular benfeitorias, outros para cumprir seu karma, entre outras e, também para que a Luz vença e todos os seres do mal sejam expulsos da Terra e só exista Luz na Terra e em todo Universo. Isso não vai acontecer.

Primeiro, que isso já existe. Apenas a Luz existe, o que não é Luz é apenas uma ilusão, algo artificial, virtual, tão quanto um jogo de computador. Segundo, que a Luz nunca irá vencer o mal, tampouco o mal irá vencer a Luz. Essa luta será contínua, infinita, aqui na Terra ou em qualquer outro lugar. A Fonte Universal, Deus, não quer que a Luz ganhe, nem que as trevas ganhem. Afinal, nada disso existe, tudo isso é uma ilusão. Se isso é apenas como um jogo de computador, tanto faz qual vai ser o resultado. Pode ser a Luz hoje e as trevas amanhã, tranquilo, sem problema algum. Isso é apenas uma matrix, um modelo, uma forma de simular algo, visto que na realidade isso de fato não existe ou não é possível.

Vamos falar sério agora. Imagine que você é Deus… uau… isso, infinito e ilimitado. Você criou tudo e todos. Você é a Luz e criou a Luz e a Luz é a única coisa que existe. Entretanto, você só conhece aquilo que você é, aquilo que você criou. Você não conhece aquilo que não é você, mas só existe você. Também, você só sabe o que é a Luz, pois é a única coisa que você é. Você não sabe o que é não-luz, você não sabe o que é seu oposto, pois só existe você, o Uno. Tampouco sequer conhecer o que significa sombra, pois não existe, só existe Luz.

Por ser apenas Luz, você não consegue criar nada diferente disso. Logo, a unica forma de conhecer algo que não é você, é simular algo que não existe. Como se fosse um jogo onde os humanos podem voar. Não existe, mas é apenas para simular, como seria.

Assim, para conhecer mais, você resolve criar um mundo virtual, uma matrix, onde possa existir tanto a Luz quanto a ausencia dela. Para isso, voce cria a Luz e as sombras e não importa qual vai ser o resultado, pois tanto a Luz quanto as sombras são criações suas, e nada dali é verdadeiro mesmo, é apenas uma matrix, um modelo onde as regras são diferentes, num ambiente controlado, onde leis criadas por voce se aplicam nesse contexto exclusivo. Pronto, está formado o cenário da dualidade, algo ilusório e temporal, onde as pessoas vivem dessa forma pois acreditam que precisam seguir esse jogo, quando na verdade não, elas poderiam parar de jogar a qualquer momento. Interromper esse ciclo constante e limitado.

E o que é Deus? Deus é a Unidade, é a não-dualidade. Deus é a Luz e a Luz, onde só isso existe. Amor puro, incondicional.

Toda a nossa galáxia vive um modelo dual. É o projeto que foi estabelecido. A dualidade foi ancorada neste plano por Arcanjo Gabriel, num tempo tão longinquo que não conseguimos contar. O Portal de saída deste modelo é através de Orion, na estrela central do cinturão de Orion, chamada AN. Esta é a saída para a realidade Ultra-maior, a Unidade. A energia de AN está sendo ancorada atualmente no planeta e servirá para encerrar o modelo de dualidade em seu devido tempo.

A parte de cima do cinturao de Orion tem Betelgeuse que é a representacao da Luz. A parte de baixo do cinturao de Orion tem Rigel, que é a representação das Trevas. A estrela central do cinturão de orion se chama AN, que representa a Unidade.
A saida da dualidade é a triangulação dessas estrelas. Quando as 3 estrelas do cinturao de orion se moverem e formarem um triangulo, o modelo da dualidade será finalizado. Através de AN poderemos nos mover para a realidade Ultra-maior, saindo da dualidade.

Os egipcios esperaram por muito tempo por essa triangulação.

Quando o Portal 11:11 foi ativado em 1992, foi criado uma zona de sobreposição, que é uma interseção entre diferentes modelos, onde a dualidade e a Unidade coexistem ao mesmo tempo. Foi aí que representou o inicio do fim da dualidade, pois as três marias (cinturão de órion) comecaram a triangular.

A cada segundo de nossas vidas podemos escolher se vivemos na dualidade ou na unidade, isso é apenas uma escolha pessoal de qual matrix desejamos viver. A saída da dualidade e o ancoramento da Unidade se iniciam, quando percebemos que a dualidade não é uma realidade aceitável.

Enquanto dermos energia para a dualidade e acreditarmos nela, continuaremos lutando no Bem e no Mal, cada hora num time diferente, repetitivamente ao longo de milhares de anos, milhares de vidas, até quando percebemos que a dualidade não é uma realidade aceitável.

A dualidade terá seu fim, em algum momento, mas você não precisa esperar até que isso ocorra. Estamos na zona de sobreposição, podemos “pular” para a Unidade se essa for a a nossa escolha.

 

A gente se esbarra aí pelo Cosmos.

Unidade em Luz,

Alryom

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s